08 novembro 2012

Resenha: Estilhaça-me - Tahereh Mafi

Estilhaça-me
Juliette não toca alguém a exatamente 264 dias. A última vez que ela o fez, que foi por acidente, foi presa por assassinato. Ninguém sabe por que o toque de Juliette é fatal. Enquanto ela não fere ninguém, ninguém realmente se importa. O mundo está ocupado demais se desmoronando para se importar com uma menina de 17 anos de idade. Doenças estão acabando com a população, a comida é difícil de encontrar, os pássaros não voam mais, e as nuvens são da cor errada. O Restabelecimento disse que seu caminho era a única maneira de consertar as coisas, então eles jogaram Juliette em uma célula. Agora muitas pessoas estão mortas, os sobreviventes estão sussurrando guerra – e o Restabelecimento mudou sua mente. Talvez Juliette é mais do que uma alma torturada de pelúcia em um corpo venenoso. Talvez ela seja exatamente o que precisamos agora. Juliette tem que fazer uma escolha: ser uma arma. Ou ser um guerreiro. Skoob



Autora: Tahereh Mafi
Editora: Novo Conceito
Páginas:  304
Nota: 3/5

Estilhaça-me conta a história de Juliette, uma jovem solitária, bela e que possui um dom letal para as pessoas. Ela com um simples toque pode matar uma pessoa, é como se ela absorve-se a vida de quem a toca. Juliette me lembrou a Vampira de X-Men, que possui um dom parecido, só que no caso da Vampira ela rouba o poder das pessoas, mas de certa forma é muito parecido. Em geral, o livro é muito X-Men. Muito parecido na questão de jovens que possuem dons e que são rejeitados pela sociedade por serem diferentes.

"Meu corpo é uma flor carnívora, uma planta doméstica envenenada, uma arma carregada com um milhão de gatilhos e está mais que pronto a atirar."

Voltando a Juliette, percebemos que a jovem sofre muito em não ter uma pessoa para conversar, e ela nunca quis machucar ninguém. Pensa o quanto essa jovem sofre por ser infringida de tocar alguém, não pode abraçar, beijar alguém que ama. Ela se sente um monstro e é infeliz. Juliette passa os dias trancafiada em lugar escuro e sombrio, e longe de qualquer indício de humanidade.

Quando o jovem Adam passa a dividir a cela com ela as coisas começam a mudar. Não é fácil para Juliette está trancada e ainda por cima com um garoto ao seu lado. E o mais estranho é que ela se sente muita atraída por ele e sente que já o conhece há anos.

Adam Kent é lindo, destemido, sexy, musculoso e gentil. Tem uma personalidade forte e corajosa, mas que é muito carinhoso, meigo e protege que ama. Ao lado de Juliette ambos vão entrar em uma jornada de perigos, medos, confusões, romance e adrenalina para encontrar uma saída de se libertar da rigidez do Restabelecimento.

"Às vezes acho que a solidão dentro de mim explodirá pela pele e, às vezes, não tenho certeza se chorar ou gritar ou rir de histeria resolverá alguma coisa. Às vezes estou tão desesperada por tocar, por ser tocada, por sentir, que tenho quase certeza de que vou cair de um penhasco em um universo alternativo no qual ninguém, nunca, será capaz de me encontrar."

O Restabelecimento é como um governo, só que a sociedade tem que obedecer de forma disciplinada e rígida. Essa sociedade tem que acatar as leis do Restabelecimento, onde que não obedece é morto sem piedade. As crianças e os idosos são tratados como nada e são excluídos pelo Restabelecimento.

O livro é bacana de se ler, mas contém muitas palavras repetitivas, o que deixa em alguns momentos muito cansativo. Penso que essa repetição a autora quis colocar para dá um ar de que a protagonista se confundi com relação aos problemas, a questão de não saber o que fazer em alguns momentos. Mas isso, ao me vê, atrapalhou um pouco.

Estilhaça-me tem continuação e pretendo ler. Espero que nos próximos livros a autora não coloque tantas palavras repetitivas, mas quero muito saber o que vai acontecer com Juliette, já que o final foi bem bacana e instigante para a continuação.



Book Trailer 


Quotes:
"Meus pais pararam de tocar em mim quando passei a engatinhar. Fiz meus colegas de classe chorar só por lhes segurar as mãos. Os professores me faziam trabalhar sozinha para que eu não machucasse as outras crianças. Nunca tive um amigo. Nunca conheci o aconchego do abraço de uma mãe. Nunca senti a ternura do beijo de um pai. Eu não sou louca."
'' Céus, Juliette, eu a seguiria para qualquer lugar. Você é a única coisa boa que sobrou neste mundo.".



6 comentários:

  1. Gostei :D parece meio distópico... e deve haver romance entre ela e o carinha da célula, né ? :) Mari.

    ResponderExcluir
  2. Olá Mvalentyne!Sim,é meio distópico sim.Sobre romance não quis falar muito não,para não dar spoiller.kkkk.

    Jéssica Rodrigues
    Leitora Sempre
    http://leitorasempre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pela resenha Jessy! Estou ansiosa para ler Estilhaça-me e espero não me decepcionar. Sabe, tenho uma cisma quanto à distopias. Beijo!

    ResponderExcluir
  4. Esse e um livro que só lendo para sabe se eu vou gosta ou não,pois já vi que algumas adorar e outras odeiam.

    ResponderExcluir
  5. Eu já li o livro e amei. A parte das palavras repetidas e riscadas é beeeeem chatinho mesmo, mas a história é boa. Gostei muito do final.
    Parabéns pelo blog. Lindo aqui!

    http://valvula-de-e5cape.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Adorei a resenha, e realmente dá vontade de ler!!!!!!! Bjão lindona!

    ResponderExcluir

Obrigada pelo seu comentário. Volte Sempre!



ilustração por Lanillu | desenvolvido por Sete Coisas | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - COPYRIGHT © 2014