28 julho 2013

Resenha Nacional: 72 Horas Para Morrer - Ricardo Ragazzo

72 Horas Para Morrer

Pior do que conhecer um Serial Killer, é um Serial Killer conhecer você! “O Carro pertence à sua namorada.” Com essas palavras, Júlio Fontana, delegado da pacata cidade de Novo Salto, tem a vida transformada em um inferno. Pessoas próximas começam a ser brutalmente assassinadas, como parte de uma fria e sórdida vingança contra ele. Agora, Júlio terá que descobrir a identidade do responsável por esses crimes bárbaros, antes que sua única filha se torne o próximo nome riscado da lista. 72 Horas para Morrer é uma corrida frenética contra o tempo, que prenderá o leitor do início ao fim. Skoob / Orelha de Livro




Autor: Ricardo Ragazzo
Editora: Novo Século
Páginas: 254
Nota: 4/5

Eu li 72 Horas Para Morrer por meio do Book Tour realizado pela Ka do blog Cinco das Artes. A história é um thiller psicológico e policial.

“Pior do que conhecer um Serial Killer, é um Serial Killer conhecer você!”

Essa frase representa bem toda a história, o que o nosso protagonista, Júlio Fontana, sofre é bem intenso. Ele tinha uma vida sossegada à medida do possível, como delegado da pequena cidade Novo Salto ele levava uma vida tranquila. Júlio sofreu algumas perdas na vida e teve que criar sua filha, Laura, sozinha. Mas isso não é nada comparado o que ele vai sofrer na trama.

O que você faria se todos ao seu redor fossem mortos? O que faria se seus piores pesadelos se tornassem reais?  Júlio conhecerá isso da pior maneira. Um Serial Killer irá atrás de todas as pessoas que se importam com ele e irá matar das piores maneiras. A sua vida se torna um inferno, literalmente.

Como delegado ele participa das investigações dos crimes e tenta impedir que essas pessoas fiquem morrendo, mas a loucura do Serial Killer é intensa. Essas pessoas que morrem sofrem as piores torturas que alguém pode passar, e teve cenas que eu fiquei enojada em ler, de tão forte que eram.

Pior do que vê as pessoas que ficam ao seu lado morrerem e saber disso é não poder fazer nada. O Serial Killer deixar recados para Júlio, e ele nunca sabe quem será a próxima vítima. A única coisa que ele tem em mente, além de tentar solucionar o caso e descobrir a identidade desse psicopata, e manter sua filha em segurança.
“Isso ainda não acabou, Júlio. Quem será o próximo?”

O livro possui cenas fortes e bem detalhadas. Nas primeiras páginas já temos um lembrete de que a história não é de amor, e sim de dor. As perdas, as mortes das pessoas que estão ao seu lado são horríveis de se pensar e imaginem essas mortes fossem por causa de uma vingança contra você? Júlio se sente tão perdido e acabado, que faz o leitor torcer muito para que no final ele possa ter uma vida melhor. Ele nunca será o mesmo e nem, mas pelo o menos que ele tenha capacidade de seguir em frente e lutar a cada dia para sobreviver.

Laura é uma personagem bem chata, com uma capacidade de irritar bastante, além de ser uma pessoa insensível. Sim, eu sei que ela também passa por muitas coisas, mas trata seu pai com descaso e mesmo que a relação deles não é de amor ela devia ter o respeito e a sensibilidade de entender o que ele estar passando. Para uma garota de 18 anos Laura é muito imatura e se deixa influenciar por muito pouco. Júlio é um personagem impulsivo, deixa suas frustrações o consumirem e fez muitas coisas da qual se arrepende. Algumas pessoas acham ele muito arrogante e bruto - sim, ele é -, mas nada justifica o que ele passou na trama. Nada. Porque ninguém merece sentir um terço da dor que ele sentiu. 

Infelizmente, o que o protagonista sofreu acontece na vida real. Só que também tem um toque de sobrenatural nele. Um livro que traz os piores medos de um homem, assuntos fortes e complexos, a vingança de um Serial Killer, a tristeza de perdas de pessoas importantes e descobertas de um passado revelador.

Quotes:
“Laura olhava pra mim como se eu fosse a carniça apodrecida de um animal atropelado na estrada. Como se eu exalasse algum cheiro fétido, pútrido.’’
“Não queria mais ver a crueldade daquela cena. Era demais pra mim. Fui acometido por um sentimento de culpa, subitamente.”


 

6 comentários:

  1. Gostei da resenha Jessy. Parece ser um livro forte e bem construído. Beijo!

    ResponderExcluir
  2. Oi flor,
    Goste da sua resenha, confesso que o livro ainda não tinha me chamando atenção, sua resenha me deixou curiosa, ainda mais por ser um tema mais forte.
    Anotei a dica aqui :)
    Beijos

    Mari - Stories And Advice

    ResponderExcluir
  3. Oi, amiga! Parabéns pela resenha!
    Tenho muita curiosidade em ler este livro. Sinto que vou gostar!
    Beijo!
    Doce Sabor dos Livros - Visite!

    ResponderExcluir
  4. Oi Jessy, adoooooooooro este gênero literário e este livro me chamou atenção desde seu lançamento.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  5. Oi amiga! Já vi muitos comentários positivos sobre este livro, no começo não tinha muita vontade de ler, mas estou mudando de ideia.

    Bjos!!
    Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  6. Eu adoro ficção com essas temáticas e esse livro foi bem decepcionante para mim. Concordo com você, Laura era bem irritante. Aquele amor a primeira vista, quando tudo indicava (inclusive o pai) que não deveria acontecer foi BEM bizarro. O próprio Júlio me irritava certas vezes.
    Outra coisa que me incomodou foi a tentativa de montar os serial killers como inteligentes e engenhosos, quando na verdade o plano nem era tão mirabolante assim. E aquele final com tom sobrenatural, quando NADA tinha montado o terreno pra gente antes, foi bem esquisito.
    Fiquei muito frustrada com esse livro. Fiz resenha dele lá no blog arrasada hahahaha. Depois li outro nacional, com o mesmo tema, que reacendeu minhas esperanças: Eu Vejo Kate. Fica a dica :D

    Conhece o nosso blog? Estamos sempre retribuindo visitas e comentários de nossos amigos blogueiros :D
    ourbravenewblog.weebly.com

    ResponderExcluir

Obrigada pelo seu comentário. Volte Sempre!



ilustração por Lanillu | desenvolvido por Sete Coisas | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - COPYRIGHT © 2014