Resenha: Quase Casados - Jane Costello


Para Zoe Moore, o dia de seu casamento foi o mais marcante de sua vida. Ou melhor, o dia em que deveria ter se casado, mas em vez disso, foi largada no altar após sete anos de namoro. Arrasada e disposta a se recuperar, ela decide se mudar de Liverpool para os Estados Unidos e trabalhar como babá. Ao chegar em Boston, ela se depara com a esperta Ruby, prestes a completar 6 anos, o adorável Samuel, que acaba de fazer 3, e o pai deles, Ryan Miller. Seu novo chefe, além de fazer uma bagunça sem precedentes e de ter um mau humor imbatível, é incrivelmente bonito. Depois de um começo um tanto decepcionante, Zoe e Ryan começam a se entender, mas ela está prestes a descobrir que recomeços podem ser mais difíceis do que esperava.



Autora: Jane Costello
Editora: Record
Páginas: 414
Nota: 4/5

Quase Casados, de Jane Costello, foi publicado aqui no Brasil pelo Grupo Editorial Record. É um chick-lit adorável, com uma narrativa leve, empolgante e divertida. A autora trouxe uma trama bastante engraçada com uma pitada de romance fofo. É inevitável que está cercado de clichês, mas em alguns momentos é interessante está lendo um livro mais brando, com uma pegada mais alegre e que você sabe que vai ter um final feliz. Os chick-lits que estou acostumada são de Sophie Kinsella, e quando vi que na capa tinha um comentário da Cosmopolitan indicando o livro para os fãs de Kinsella, logo me interessei pela leitura e não me arrependi. É uma história que me divertiu e aproveitei o momento, com grandes risadas.

A história foca em Zoe Moore, uma britânica que sai de Liverpool, sua cidade natal, para os Estados Unidos, para ser babá da família Miller. Antes de falar sobre seu novo emprego, vamos voltar um pouco no tempo. A protagonista passou por um momento horrível que nenhuma mulher desejaria pra si, o dia que era para ser o mais feliz de sua vida transformou-se no pior. Ela é abandonada no altar por Jason, seu namorado há sete anos e que ela considerava o amor de sua vida. Zoe larga seu emprego como subdiretora numa creche da cidade e vai para Boston tentar começar uma nova vida, lá ela é babá de Ruby, uma menina de 6 anos muito esperta, e do encantador Samuel, de três anos. Claro, não podemos esquecer de Ryan Miller - viúvo, lindo e com um humor bem ácido -, ele é o típico homem mulherengo, que desde a morte da esposa, fez uma lista de conquistas amorosas e nunca mais se apaixonou por ninguém.

"Você pode atravessar um oceano para fugir. Mas não tem como fugir de seus pensamentos."

A relação entre Ryan e Zoe é bem intensa, já que a protagonista não aceita como ele lida com a dor. A casa em que mora é uma tremenda bagunça e com isso Zoe terá que tomar as rédeas da casa, mas Ryan nunca agradece nada que ela faz. É uma relação de gato e rato, os dois disputam mas nunca cedem primeiro. Zoe é uma protagonista divertida, o livro é narrado por ela e temos bastante cenas engraçadas já que enfrenta várias situações constrangedoras, já Ryan mostra-se um homem de negócio, arrogante mas que no fundo é um bom homem, um ótimo pai e uma pessoa solitária, que todos os dias enfrenta a dor de ter perdido o amor de sua vida. É um livro que ao longo das páginas os personagens vão amadurecendo, e como todos já imaginam terá uma faísca entre Zoe e Ryan, mas será que Zoe poderá fugir do passado? Conseguirá esquecer Jason? E Ryan, estará preparado para uma relação que não seja de uma noite? Quase Casados é um chick-lit para ler numa tarde tranquila e rir com as aventuras de Zoe em um país desconhecido, mas também torcer para que ela tenha sua felicidade e amor que merece.

A capa do livro é muito bonita e delicada, a diagramação está boa e com uma fonte agradável e também não encontrei nenhum erro ortográfico. Os personagens secundários são importantes para a história, como Trudie, babá dos vizinhos de Ryan, que será uma das novas amigas de Zoe e as duas terão uma forte conexão. Também temos a irreverente mãe de Zoe, Helen, que é uma graça e em alguns capítulos temos alguns e-mails que ela manda para filha, contando como estão as coisas na Inglaterra. Não é um livro que vai trazer uma reflexão profunda ou fazer você rever seus conceitos de vida, mas é uma história para se divertir e Jane Costello escreve de uma forma sútil e que empolga o leitor. Espero que o Grupo Editorial Record traga mais livros dela para o Brasil.



7 comentários:

  1. Oi Jess, tudo bem?

    To nem curiosa para ber esse livro. Li resenhas bem legais. Eu AMO chick lits e há um tempo não leio nenhum. Tá mais que adicionado na minha lista

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oláaa ahhh que resenha ótima!!!!! adorei viu.... fiquei encantada pelo enredo e a premissa da história... quero poder dar risadas e me divertir com a protagonista... nunca li um chick list e tenho uma imensa vontade de fazer isso, mas eu queria encontrar um livro que me chamasse atenção e foi esse... Xero linda....

    ResponderExcluir
  3. Oi Jéssica, tudo bem?? Li pouquíssimos chick-lit até hoje, mas gosto bastante, principalmente os da Sophie que são maravilhosos. Esse parece ser muito gostoso de se ler, e a protagonista parece ser bem interessante... gostei dessa diferença dela e do Ryan, e sério, já gostei dele... ahushua, gosto de personagens mais "mau-humorados". A capa é linda *-*

    Beijinhos,

    Rafaella Lima // Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
  4. Oi, Jéss
    Eu leio pouco chick-lit e geralmente os que mais me agradam são aqueles que fogem aos clichês. Por isso, fiquei receoso quando disse da presença constante deles no texto. Eu gosto muito de romance fofo e estórias leves, brandas e divertidas, e fiquei curioso com o andamento da trama. Não sei se leria, mas num primeiro momento fiquei interessado sim! A capa é fofa *-*

    Abraço
    Adriano
    GeraçãoLeitura.com || http://geracaoleiturapontocom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá, já tinha visto esse livro, mas nunca havia parado para ler resenha. Apesar de fugir de clichês, gostei desse livro, é bem inusitado. Pois raramente encontramos alguma obra em que a protagonista é abandonada no altar.
    Gostei, e sim, eu acho que terá algo entre Zoe e Ryan. *Clichê* hahah

    beijooos!
    Vivendo em Livros

    ResponderExcluir
  6. desde o lançamento esse livro me despertou o interesse!
    Além dessa capa lindinha, a história parece ser bem gostosa. Coisa que você acabou de me confirmar na resenha.. E sim, ler algo mais leve, sem muitas reflexões faz vem tambem... As vezes é bom apenas relaxar na companhia de um livro.

    Beeeijinhos ;*
    Andressa - Mais que Livros

    ResponderExcluir
  7. Pra quem é fã de chick-lit, só de olhar pra essa capa já dá vontade de ler. Eu aaaamo esse gênero, e adoro quando as capas são fofas, desenhadas e coloridas. Ponto superpositivo pra mim!
    Não sou fã de clichês, mas quando se trata de comédia romântica eu não enjoo nunca, ainda mais quando tem criança no meio. Quero ler esse em breve, vou ficar de olho pra comprar.
    Beijinhos!
    Giulia - www.prazermechamolivro.com

    ResponderExcluir

Obrigada pelo seu comentário. Volte Sempre!