Resenha: Ligeiramente Casados - Mary Balogh


À beira da morte, o capitão Percival Morris fez um último pedido a seu oficial superior: que ele levasse a notícia de seu falecimento a sua irmã e que a protegesse – “Custe o que custar!”. Quando o honrado coronel lorde Aidan Bedwyn chega ao Solar Ringwood para cumprir sua promessa, encontra uma propriedade próspera, administrada por Eve, uma jovem generosa e independente que não quer a proteção de homem nenhum. Porém Aidan descobre que, por causa da morte prematura do irmão, Eve perderá sua fortuna e será despejada, junto com todas as pessoas que dependem dela... a menos que cumpra uma condição deixada no testamento do pai: casar-se antes do primeiro aniversário da morte dele – o que acontecerá em quatro dias. Fiel à sua promessa, o lorde propõe um casamento de conveniência para que a jovem mantenha sua herança. Após a cerimônia, ela poderá voltar para sua vida no campo e ele, para sua carreira militar. Só que o duque de Bewcastle, irmão mais velho do coronel, descobre que Aidan se casou e exige que a nova Bedwyn seja devidamente apresentada à rainha. Então os poucos dias em que ficariam juntos se transformam em semanas, até que eles começam a imaginar como seria não estarem apenas ligeiramente casados... Skoob / Orelha de Livro

Autora: Mary Balogh
Editora: Arqueiro
Páginas: 288
Nota: 4/5


Ligeiramente Casados, primeiro volume da série Os Bedwyns, de Mary Balogh foi publicado aqui no Brasil pela Editora Arqueiro. Em cada livro da série conta a história de um dos irmãos Bedwyns, que são Aidan, Rannulf, Freyja, Wulf, Alleyne e Morgan.

O coronel Aidan Bedwyn fez uma promessa no leito de morte do capitão Percival Morris, prometendo levar a notícia da morte a irmã do capitão e que irá protegê-la “Custe o que custar!”. Eve Morris é uma mulher independente e bondosa que administra a propriedade da família sozinha, mas por causa do testamento de seu pai - que diz que ela deveria ser casar antes do primeiro aniversário da morte dele - poderá perder tudo e só resta apenas quatro dias para o prazo final. Quando Aidan aparece em sua vida, em sua casa com a notícia da morte do irmão suas esperanças são quase nulas. Muitas pessoas dependem dela, os criados, sua tia e seus filhos adotivos, mas Aidan é um homem de palavra, ele será fiel à sua promessa e propõe casamento para Eve. É apenas um casamento de conveniência. Ela precisa se casar desesperadamente, ele não tem o interesse de encontrar um amor. Seu objetivo é seguir com sua carreira militar, então eles usam o útil ao agradável. Depois da cerimônia, Eve ficará em sua residência e ele irá embora para sempre. Poderia ser algo que ficaria escondido, mas isto não irá acontecer.

''Uma coisa sobre os Bedwys - falou Aidan - é que não amam facilmente, mas quando  amam é com muita intensidade.''

Aidan pertence a uma família da nobreza, seu irmão é um duque e todos tem expectativas sobre ele. Então, quando sua família descobre sobre esse casamento rápido é exigido que a nova Lady Bedwyn seja apresentada à rainha. O irmão mais velho de Aidan não permitirá que a família esconda uma noiva, ele é o duque e protege os Bedwyn absolutamente. Eve e Aidan terão que ficar algumas semanas juntos, mas um casamento que era apenas de conveniência poderá se transformar em algo mais? Eles sentem atração um pelo outro, mas são completamente diferentes. E Aidan jamais irá fazer algo para difamar a imagem de sua esposa e Eve também não. Porém, o que vêm em primeiro lugar para a jovem é sua casa, seus empregados e filhos adotivos. O que acontecerá? Será possível que a atração transforme-se em algo mais?

Eve não é uma protagonista que fica choramigando, é durona e corajosa. Ela é de uma família de origem pobre, mas que seu pai trabalhou muito para progredir e se tornar um mineiro de carvão sólido. Já os Bedwyns são conhecidos por serem uma família arrogante, fria, muito rica e aristocrata. Freyja é a rebelde da família. Wulf é o duque, responsável, controlador e que segue as regras da sociedade. Aidan é o verdadeiro, sincero e íntegro. Sobre Alleyne e Morgan não tenho muito a acrescentar, mas espero detalhes nos próximos volumes. Particularmente, estou interessada no livro do duque Wulf e entender mais desta personalidade arisca, mas que no fundo deve ser maravilhosa e romântica.

Mary Balogh pertence ao catálogo de romances de época da Editora Arqueiro, que possuem as escritoras Julia Quinn, Madeline Hunter e Lisa Kleypas. Minha preferida é a Quinn com sua série Os Bridgertons, as outras duas autoras ainda não conheci a escrita mas no Black Friday comprei a série da Lisa. Mary Balogh é uma autora maravilhosa, mas não é minha favorita. Ligeiramente Casados é um livro interessante, porém nas primeiras páginas eu não conseguia me interagir com a história, mas ao longo da narrativa eu fui me convencendo e as cenas entre o coronel e Eve foram ficando bem mais divertidas. O próximo volume da série é Ligeiramente Maliciosos e contará a história de Rannulf Bedwyn.

Quotes:
"Eu me casei com ela porque sou um homem de honra e protejo as mulheres sempre que isso está ao meu alcance." 
"Acredito que ambos já percebemos faz tempo - falou - que pertencemos a mundos diferentes."






12 comentários:

  1. Ola Jessica
    adorei sua resenha, eu ja tinha lido e visto outras sobre esse livro e fiquei louca pra ler pois a historia parece ser emocionante. Com certeza vou ler
    beijos
    www.marichic.com

    ResponderExcluir
  2. Oi,

    Eu não li ainda. Eu não sou a maior fã de romances de época, mas esses que ando conhecendo pelas resenhas estão me fazendo querer ler.

    A unica coisa que me deixou meio receiosa foi o fato de vc ter dificuldades no inicio de poder se envolver na história, como é um genero que eu não sou a maior fã, para mim ia ser um pouco pior. Mas mesmo assim leria.


    Beijinhos,
    www.entrechocolatesemusicas.com

    ResponderExcluir
  3. Que bom que com o decorrer da narrativa a história conseguiu te convencer mais e as cenas ficaram mais divertidas. Mas se cada livro conta a história de um irmão, se contei certo serão seis livros... rs... no momento esse número não permite que eu me anime. Não li nenhuma dessas séries de época da editora, mas decidi começar pela Julia Quinn, fico feliz de saber que é a sua preferida.

    Beijo.

    Ju - Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  4. Oieee, tudo bem? Eu não gostava muito de romances de época, mas isso mudou quando eu mediei um evento deste genero aqui na capital do meu estado e eu realmente começei a se interessar por esses livros, as histórias são maravilhosas e as capas são muito lindas, ainda não li este mas fiquei interessado, já conhecia ele por causa dessa capa muito linda rs, Abraços.

    ResponderExcluir
  5. Oi tudo bem ? é legal esse livro ? Adicionei na lista que eu pretendo ler ainda ♥

    beijos | http://apenasmeufilme.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi Jéssica, tudo bem? Gostei bastante da sua resenha, mas não tenho muito interesse, pois não curto muito romances de época. Entretanto, acho interessante essas personalidades completamente oposta e o modo como vai acontecendo o envolvimento dos dois.

    Beijinhos,

    Rafaella Lima // Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
  7. Eu sempre fico babando nessas capas de romances de época :3
    e já tinha visto essa e sempre tive medo de comprar um livro assim e não gostar. Mas acho que somente pelo fato que você disse que a protagonista é forte me deixou com vontade de ler. Não gosto de quando a protagonista é frágil e tem que ser salva sempre pelo amor dela. Principalmente acho que aconteceria com um de época. bjs

    www.horadaleitur.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oi Jessica, tudo bem???

    Eu não tenho muitas experiências de leitura de romances históricos... porém tenho lido uns maravilhosos.... e esse foi um dos que li muitas resenhas e terminei comprando.... ainda quero os da Julia Queen rsrsrs.... A resenha foi cativante... e mesmo que ela não tenha te emocionado e nem te preenchido tanto percebi que você gostou da leitura e isso vale muito.... Xero!!!

    ResponderExcluir
  9. Oi, Flor! Tudo bom?
    Quase arranco os cabelos com essas histórias de casamentos arranjados, adoro quando temos uma protagonista forte e ela luta por sua felicidade e acredita que pode encontrar seu grande amor. Fiquei feliz pelo fato de Aidan oferecer essa ajuda, pois tudo estava realmente perdido. Não sei se fico com raiva da família dele ou se fico agradecida, porque sinto que um amor pode florescer entre os dois. Aos meus olhos eles não parecem ter qualquer maldade, então um final feliz está ai. Já tinha lido outra resenha desse livro, mas não sei se consigo ler algum romance de época, mas esse ano prometo dar a chance!

    Beijinhos,
    www.percepcoes.blog.br

    ResponderExcluir
  10. Oi Jess, tudo bem?

    Ah, eu adorei a história. Amo um romance de época e desde o inicio curti a escrita da autora. Me apaixonei pelo Aidan, mas o destaque do livro é o temperamento forte e decidido da Eve, Mas ainda quero conhecer os livros da Julia Quinn.

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir
  11. Olá

    Só li um romance de época na vida e não era muito nesse estilo de atualmente, pois o livro era antiguinho. Como não gosto muito desse estilo, acabei não gostando tanto do livro haha mas recentemente tenho visto algumas dicas interessantes pela blogosfera. Ainda não fiquei tentado a ler nenhum volume (eu acho), mas fico de olho nas dicas, pois vai que alguma hora aparece algum que me interesse bastante? Infelizmente não me interessei por esse.

    Abraço!
    www.umomt.com

    ResponderExcluir
  12. Oi, Jéss
    Romances de época estão super em alta, né?
    Porém eu ainda não tive oportunidade de ler e nem me vejo tão interessado, infelizmente. Eu gosto de sua paixão em falar sobre cada personagem, seus casamentos arranjados e como a busca pelo amor perdura e etc. No entanto, não fiquei tão interessado :(
    Gostei muito da sua resenha. Lindíssima como sempre :)

    Abraços
    Adriano
    GeraçãoLeitura.com || http://geracaoleiturapontocom.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Obrigada pelo seu comentário. Volte Sempre!