27 junho 2015

Resenha: A Sombra do Vento - Carlos Ruiz Zafón

A Sombra do Vento é uma narrativa de ritmo eletrizante, escrita em uma prosa ora poética, ora irônica. O enredo mistura gêneros como o romance de aventuras de Alexandre Dumas, a novela gótica de Edgar Allan Poe e os folhetins amorosos de Victor Hugo. Ambientado na Barcelona franquista da primeira metade do século XX, entre os últimos raios de luz do modernismo e as trevas do pós-guerra, o romance de Zafón é uma obra sedutora, comovente e impossível de largar. Além de ser uma grandiosa homenagem ao poder místico dos livros, é um verdadeiro triunfo da arte de contar histórias. Tudo começa em Barcelona, em 1945. Daniel Sempere está completando 11 anos. Ao ver o filho triste por não conseguir mais se lembrar do rosto da mãe já morta, seu pai lhe dá um presente inesquecível: em uma madrugada fantasmagórica, leva-o a um misterioso lugar no coração do centro histórico da cidade, o Cemitério dos Livros Esquecidos. O lugar, conhecido de poucos barceloneses, é uma biblioteca secreta e labiríntica que funciona como depósito para obras abandonadas pelo mundo, à espera de que alguém as descubra. É lá que Daniel encontra um exemplar de "A Sombra do Vento", do também barcelonês Julián Carax. O livro desperta no jovem e sensível Daniel um enorme fascínio por aquele autor desconhecido e sua obra, que ele descobre ser vasta. Obcecado, Daniel começa então uma busca pelos outros livros de Carax e, para sua surpresa, descobre que alguém vem queimando sistematicamente todos os exemplares de todos os livros que o autor já escreveu. Na verdade, o exemplar que Daniel tem em mãos pode ser o último existente. E ele logo irá entender que, se não descobrir a verdade sobre Julián Carax, ele e aqueles que ama poderão ter um destino terrível Skoob / Orelha de Livro

Autor: Carlos Ruiz Zafón
Editora: Suma de Letras
Páginas: 400
Nota: 4/5

Oi! Essa é a primeira resenha que eu vou me aventurar a escrever por aqui. Confesso que estou com aquela insegurança habitual de iniciante, mas vamos ao que interessa: Para quem não lembra, a Jess me selecionou para ser colunista aqui no LS na área de resenhas, não sou especialista, mas espero que vocês gostem da forma como eu transmito o que eu sinto ao ler algum livro. Para começar, escolhi o livro A Sombra do Vento de Carlos Ruiz Zafón, um autor espanhol. Que eu me lembre nunca havia lido nada de um escritor da Espanha e esse livro já me deixou bem interessada em ler outros dele. Minha história com ele começou em um amigo oculto, quando a amiga que me tirou só disse: Esse é o melhor livro que eu li na minha vida, você TEM que ler. Não perdi tempo e já abri o livro na mesma semana.

Confesso que o início é bem morno, sou perseverante e permaneci firme na leitura, mas não tem como negar que a apresentação dos personagens é meio lenta. Tudo tem seu contexto, mas é parado. A história se passa em Barcelona e começa em 1945, quando o protagonista, Daniel Sempere, tem apenas 11 anos. Uma coisa super diferente acontece quando ele acorda no meio da noite desesperado por não lembrar o rosto da mãe e o pai resolve levá-lo ao Cemitério dos Livros Esquecidos.

Esse Cemitério é um local que pouquíssimas pessoas conhecem e é guardado por um velhinho não muito simpático, mas bem rápido para entender o que acontece a sua volta. O Sr. Sempere, pai de Daniel, pede a ele que escolha um livro de uma das muitas estantes do local para iniciar a sua ligação com o local e avisa que ele nunca deverá revelar o endereço do lugar a outras pessoas. O garoto passeia pelas estantes da fortaleza e encontra um tesouro chamado A Sombra do Vento escrito por Julian Carax, que segundo o livro é um espanhol que publicou seu livro na França. Daniel se encanta pelo livro e o lê em apenas uma noite de tão envolvido que fica pela história, logo ele sente vontade de conhecer outras obras e mais detalhes da vida do autor.

Quanto mais o interesse dele pelo livro aumenta, mais coisas estranhas acontecem e mais desconfortáveis ficam as pessoas que conhecem parte do mistério que envolve Julian. Outros personagens como Clara Barceló, Tomaz Aguilar, Beatriz Aguilar, o Inspetor Fumero e Fermín Romero são apresentados, todos contribuem para deixar a história cada vez mais envolvente, mas o nome do livro sem dúvidas é Nuria Monfort. Fiquem de olhos bem abertos quando esse nome aparecer.

Confesso que meu amor pelos livros do Tolkien, da J.K. e do Machado não me deixam afirmar que esse é o melhor livro que já li na vida, mas com certeza a trama foi desenhada com uma complexidade e perícia que não vemos sempre por aí. O livro entrega tudo o que promete, você acaba desvendando o que aconteceu antes que a história chegue ao fim, mas quando você pensa que acabou ainda acontecem muitas coisas de deixar os cabelos em pé.

Para mim, o livro é extremamente bem escrito e deixa a obviedade de lado. Você consegue descobrir algumas coisas da história antes do fim porque o autor quer que isso aconteça, mas ainda assim você fica confuso o tempo todo por conta da ambiguidade que ele deixa clara sobre o comportamento dos personagens. Dá para desconfiar de muita coisa, mas somente com as revelações bombásticas do fim você tem certeza do que aconteceu anos antes de Daniel desenterrar aquele livro e uma história de amor, inveja e ódio.

Estou curiosa para ler outros livros do autor e ver se ele consegue manter esse ritmo de narrativa em tudo o que escreve. Com esse livro, ele ganhou meu coração e outros autores espanhóis vão entrar no meu radar em breve, eu espero. Minha nota para esse livro é 4, sim eu poderia dar mais, mas a lentidão do início não me permite. Não se desanime, a história entrega mais do que promete e todas as pontas soltas são amarradas no fim. Tenho certeza que cada página vale a pena. Também espero que vocês gostem da minha resenha e da forma como escrevo. Se quiserem deixar sugestões de livros para as próximas resenhas é só falar aqui nos comentários.

Quotes:
"A tumba sem nome nunca foi encontrada, e pouco depois corria uma nova versão: Julián Carax, mancomunado com a desgraça havia morrido em sua cidade natal, na miséria mais absoluta."
"Durante anos procurei outros livros de Julián Carax - continuou Clara - Perguntava em bibliotecas, livraria, escolas... sempre em vão. Niguém tinha ouvido falar dele ou de seus livros."
"Olhe, a coisa que eu mais detesto no mundo são as pessoas que fuçam na merda e no passado - clamava Fumero, rodeando Fermín - As coisas passadas devem ficar como estão, entendeu? E isso vale para você e para o imbecil do seu amigo. Olhe bem e apre, garoto, que logo chegará a sua vez."
"Você não sabe o que fez, Daniel. Você acha que porque tropeçou num livro tem o direito de entrar na vida de pessoas que não conhece, remexer coisas que não pode entender e que não lhe dizem respeito"

PS: Também escrevo resenhas e matérias em outro blog literário, o Ponto para Ler, se quiser conhecer é só clicar AQUI.



19 comentários:

  1. Oi, tudo bem?
    Minha amiga me deu o box dessa trilogia no Black Night da Submarino. Ela gastou 24 reais e eu fiquei encantado com a qualidade do material, mas já tentei ler o primeiro livro 2 vezes e não consigo. Depois da sua resenha eu acho que vou tentar ler novamente. Qualquer coisa te falo ;)

    http://desencaixados.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Victor! Persevera! A história é bem interessante e para mim valeu muito a pena. Tenho uma história parecida com A Menina que Roubava Livros e O Festim dos Corvos, não consigo ler os dois nem com reza brava! Hahahaha
      Fico feliz que a resenha tenha te motivado a voltar a leitura! Depois conta se valeu a pena ou se vocês não se batem mesmo...
      Beijos!

      Excluir
  2. Oi Ana! Não precisa ficar insegura, sua primeira resenha está ótima! Muita gente tem me falado sobre o zafon, inficando e me dizendo que eu preciso começar á ler, sua resenha só me animou ainda mais para dar uma chance. Sempre vejo os livros nas promoções do submarino, mas nunca dei uma chance.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Stephanie! Que bom que você gostou da resenha!
      Acho que ele merece o benefício da dúvida sim! A mesma amiga que me deu o livro não gostou muito do segundo livro que compõe a série do Cemitério dos Livros Esquecidos, mas é tudo uma questão de gosto... Quando eu ler faço a resenha aqui!
      Se ler, conta sua experiência aqui para a gente depois!
      Beijos!

      Excluir
  3. Olha, minha primeira experiência com o Zafón não foi muito boa, li Marina e achei extremamente macabro. Embora concorde que o autor escreve realmente muito bem, até hoje não tive coragem de ler mais nada dele. Mas tenho esse livro aqui, e sua resenha me convenceu a fazer uma nova experiência. Vou me preparar para o início morno e ver como me sinto enquanto leio.

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dá uma nova chance para ele, Ju! Não conheço Marina, mas A Sombra do Vento realmente valeu a pena para mim. Conta a experiência aqui depois!

      Excluir
    2. Eu tbm li Marina e achei bem macabro, apesar do final ter me feito achar a história linda e profunda. Estou com vontade de ler a Sombra do Vento.

      Excluir
  4. Oi Ana Paula :) Bem, difícil nunca ter ouvido falar desse livro ou até mesmo do autor... Gostei da resenha, e mesmo não sendo o estilo de história que eu procuraria para ler, o que você escreveu, me deixou curiosa. Parabéns, não deixe de escrever outras resenhas, ok?
    Besos!
    http://www.kuroneko1.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Oi, Ana!
    Li 2 livros do Zafón, incluindo o queridinho Marina, e nenhum deles me conquistou. Não é por causa da escrita dele, mas sim pelo meu gosto. Mesmo vc elogiando o livro, não me interesso pelas minhas experiências ruins com o autor.
    Ah! Seja bem-vinda! Resenha é prática; quanto mais você faz, melhor fica. ;)
    Beijinhos!
    Giulia - www.prazermechamolivro.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Giulia!
      Quando o gosto é diferente não tem jeito mesmo! Mas obrigada pelo incentivo! Vou continuar escrevendo :)

      Excluir
  6. Ana Paula te desejo todo sucesso aqui no blog.

    Não conhecia o livro, mas fiquei realmente interessada. É o tipo de leitura que eu gosto, mistérios, suspense, um toque de terro e sobrenatural. E é bom saber que o autor escreve bem, assim a história fica mais envolvente.

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nilda!
      Espero que você goste da leitura tanto quanto eu! A escrita é impecável, não tem como negar isso. Não esquece de contar como foi a experiência, caso você o leia!
      Beijos!

      Excluir
  7. Olá, tudo bem?

    Apesar da complexidade e perícia exibidas pelo autor, um livro que tem um começo morno será abandonado com certeza. Infelizmente não tenho tempo para ficar com livros assim, ainda mais se não sei como será o resto dele, entende? Se o livro não me fisga logo no começo com algum diferencial, eu acabo passando a leitura pra frente e pegando outro livro da pilha de não lidos, que por sinal tá do meu tamanho T_T. Parabéns pelo primeira resenha ;)

    Abraços,
    Matheus Braga
    Vida de Leitor - http://vidadeleitor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Matheus,
      Também tenho a impressão de que minha lista de não lidos vai me consumir, mas dificilmente deixo um livro de lado, se vejo que a história tem potencial sempre persevero e acabo gostando dela em algum momento. Força aí nas suas leituras.
      Abraços.

      Excluir
  8. Olá... Ana, tudo bem??
    Seja bem vinda ao blog... mas é assim mesmo flor... as resenhas ficam aperfeiçoadas com o tempo... as vezes olhos minhas resenhas antigas e me espanto o quanto eu melhorei, mas devo dizer que você começou bem... sua resenha ficou ótima... você se expressou da forma como realmente se sentiu durante a leitura do livro. Eu não curto essa temática, por isso não tenho a pretensão de ler o livro... Xero!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Diana!
      Obrigada por me incentivar! Fico feliz que tenha gostado. Fica de olho nas próximas, pode ser que tenha algo que você goste! Meu gosto literário é bem variado xD
      Beijos!

      Excluir
  9. Olá! Eu sou apaixonada pelos livros do Záfon! A Sombra do Vento foi o primeiro que li dele.... ponto de partida para todos os outros por ele publicados. É maravilhoso, te faz mergulhar no universo particular dele. Estou criando coragem de escrever uma resenha sobre ele, rs.

    ResponderExcluir
  10. É um dos meus livros favoritos! <3

    ResponderExcluir
  11. Olá , eu acabei de ler o livro á algumas semanas e concordo plenamente..
    A parte inical é muito muito lenta ; tanto é que o tive que recomeçar umas 4 vezes...E um livro complexo e é preciso alguma maturidade para conseguirmos absorver tudo o que ele nos oferece...Estejam atentos as descriçoes nao so das personagens como tambem dos locais e do tempo que se vive, tudo isso é extremamente importante para uma boa compreensao do livro..
    aconselho a todos o que procuram um livro que dá voltas e mais voltas ..sabem aquele momento que parece que a historia é normal e que ja sabemos o final? Esqueçam neste nem sonham... beijinhos

    ResponderExcluir

Obrigada pelo seu comentário. Volte Sempre!



ilustração por Lanillu | desenvolvido por Sete Coisas | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - COPYRIGHT © 2014