04 fevereiro 2016

Mania em Série - House of Cards


Título: House of Cards
Direção: David Fincher (Primeiro Episódios), Robin Wright (Demais Episódios), Beau Willimon (roteirista), Kevin Spacey (produtor executivo)
Estreia: 01 de fevereiro de 2013
Ano de Produção: 2013
Emissora: Netflix
Gênero: Drama Político
Elenco Principal: Kevin Spacey, Robin Wright, Kate Mara, Michael Kelly, Nathan Darrow, Rachel Brosnahan, Kristen Connolly, Corey Stoll, Michael Gill, Sakina Jaffrey, Sebastian Arcelus.


Sinopse: Frank Underwood é um astuto congressista norte-americano que é traído pelo presidente que ele ajudou a eleger. Com a ajuda da esposa, de uma jornalista ambiciosa e de um outro político com problemas com alcoolismo, Underwood inicia um plano para minar adversários políticos e conquistar, em alguns anos, a presidência dos Estados Unidos.

Eu sei que muitos brasileiros, principalmente os mais jovens, tem birra com política pelo fato de sermos um país corrupto. Muitos logo de cara devem torcer o nariz para essa série justamente porque ela fala sobre os corredores da política, muitos desistem dela só pela temática. Eu classifico essa série no grupo 8 ou 80 porque entre as pessoas que já conversei sobre costuma existir o grupo das juras de amor eterno a Francis Underwood ou o grupo do ódio mortal pelos mais variados motivos.

Eu sou do time que respeita a série, eu gosto dos episódios, acho o Frank mega inteligente e a velocidade dos acontecimentos é algo que me fascina. A série conta a história de Frank Underwood, um congressista (o que equivale a um deputado no Brasil) que sabe muito bem como caminhar pelo tabuleiro do poder. Ele está há alguns anos na política pelo partido democrata, mas as vezes ainda é pego de surpresa, como no primeiro episódio.

Frank apoiou o candidato democrata a eleição para presidência, recebeu promessas em troca de sua influência e quando o candidato venceu acabou não cumprindo o que havia sido prometido. A surpresa de Frank dura pouquíssimo tempo e a partir daí temos uma busca por vingança (na falta de uma palavra melhor no meu vocabulário) que deixa qualquer um no chinelo.

A atuação do Kevin Spacey é fenomenal, você acredita na verdade do Frank porque ele dá vida ao personagem como poucos conseguiriam. Soube que para trazer mais realidade ao personagem, ele passou um tempo acompanhando as reuniões de um congressista para entender um pouco mais do mundo do poder. O personagem tem uma característica que eu adoro que é conversar com o público durante o episódio. Em alguns momentos ele explica o que vai acontecer a seguir ou dá a opinião dele sobre algo que aconteceu e como ele reagirá e quando as coisas se desenrolam ele sempre dá aquela olhadinha para a câmera com o olhar de “eu te avisei”. Tem que ser muito bom autor para fazer isso com tanta propriedade e sem parecer forçado. Isso me lembra um pouco o que Machado de Assis faz em seus livros, ao conversar com o leitor durante a história sobre o comportamento de seus personagens.

Mais duas personagens merecem um parêntese: Claire Underwood e Zoe Barns. Gente, se vocês acham que o Frank não tem escrúpulos vocês ainda não conheceram a mulher dele, vocês não tem noção de como os dois são cúmplices em tudo. Como os dois se entendem e se merecem, ela fez uma escolha ao se casar com ele e você percebe que ela não tem nenhum problema com isso e o ajuda a passar por todos os perrengues entrando em cena quando necessário. Claire Underwood representa a máxima “por trás de todo grande homem, existe uma grande mulher”. Ela é enorme, dá para perceber isso logo no primeiro episódio quando ela faz com que ele volte para o eixo depois que é traído. E isso é só uma pitada do que ela faz ao longo de todas as temporadas, os dois jogam juntos o tempo quase todo pelos interesses em comum, mas é interessante ver que em alguns momentos os dois estão em lados opostos, o que não interfere em nada no casamento.

E por falar em casamento, vocês vão perceber que esse não é um daqueles convencionais. Apesar disso eu não tenho coragem de dizer que é errado porque você percebe desde o início que tudo foi pautado por escolhas que eles fizeram, que nenhum dos dois é santo e, principalmente, eles não se enganam com o estereótipo de casal perfeito. Eles apenas desempenham os seus papeis. Confesso que a cada temporada é mais interessante observar como os dois se movem e seria interessante ver o que levaria os dois a rachar, se é que existe algo que consiga penetrar essa união.

Sobre Zoe Barns eu tenho uma coisa a dizer, você olha para ela e não dá nada. Ao olhar com mais atenção percebe que ela não tem escrúpulos, ela mostra que inteligência não falta naquela cabecinha e que com um pouco mais de experiência ela poderia ser uma futura Claire pelo fato de querer poder, mas ela acaba se deixando influenciar pelo meio e as dúvidas que surgem fazem com que ela perceba que o mundo da política é uma via sem volta, e se você titubear, o preço pago é muito alto. Vocês vão ver que a série se baseia, basicamente, na interpretação genial do Kevin e da Robin, mas a gente tem que dar crédito para a Kate Mara também, ela conseguiu dar vida a uma Zoe que poderia ser qualquer um de nós. Alguém seduzido pelo que o poder vende, que faz escolhas sem volta e não tem forças para remar contra a maré. Por aí deve ter um monte de Zoes, Claires e Franks, não precisa nem procurar muito.

Outra coisa muito importante da série é o papel da mídia, você fica impressionado com a manipulação. Todo mundo fala que a mídia é manipulada, mas quando você vê como as coisas funcionam no decorrer da série você tem a certeza de que não dá para acreditar cegamente em nada que se lê em qualquer lugar, não só nos jornais. O tempo todo eles controlam o que será publicado, como será publicado e repassam milhares de vezes as versões que serão reproduzidas tomando todo o cuidado para não deixar pontas soltas.

O seriado é uma aula em muitos sentidos, eu gosto muito de assistir, principalmente porque vivo um pouco daquilo todos os dias (em um cenário bem menor, claro) e reconheço algumas personalidades que passam pela vida do Frank. Eu recomendo MUITO, mas sei que nem todo mundo vai amar e muitos inclusive vão achar a série monótona por não entender a velocidade dos fatos. Se você estiver precisando de alguma nova série para amar, acho que vale a pena tentar aqui, o trabalho do elenco e da equipe de direção beira a genialidade.



Prêmios:
A série tem no currículo sete Emmy’s e dois Globos de Ouro, a façanha não é para qualquer um principalmente pelos prêmios mais visados, de melhor ator, atriz e diretor e pelos prêmios mais técnicos também.

2013:
- Emmy: Melhor fotografia em série de Câmera única – Eigil Bryld
- Emmy: Melhor elenco em série dramática – Laray Mayfield e Julie Schulbert
- Emmy: Melhor fotografia em série de câmera única – Eigil Bird
- Emmy: Melhor direção em série dramática – David Fincher

2014:
- Globo de Ouro: Melhor Atriz em Série Dramática – Robin Wright
- Emmy: Melhor mixagem de som em série – Nathan Nance

2015:
- Globo de Ouro: Melhor ator em série dramática – Kevin Spacey
- Emmy: Melhor composição musical em série – Jeff Beal
- Emmy: Melhor ator coadjuvante – Reg Cathey

Ano passado Kevin Spacey foi coroado como melhor ator de série dramática pelo globo de ouro, esse lapso foi considerado uma falha por muitos em 2014, pois a série estava no auge e ele havia sido aclamado pela crítica. A série deu uma parada beeem longa e a quarta temporada só vai sair agora, talvez por isso as indicações para o globo de ouro de 2016 tenham sido tão tímidas, mas ainda assim Robin diva Wright estava lá concorrendo ao prêmio de melhor atriz.



Frases icônicas de Tio Frank:
“Não há maneira melhor de derrotar um pingo de dúvida do que receber uma inundação da verdade nua e crua"
"Decisões têm consequências. Indecisões, mais ainda"
"Poder é muito parecido com o mercado imobiliário. Tudo se resume a localização, localização, localização. Quando mais próximo estiver da fonte, mais valiosa é sua propriedade."
"Dinheiro é mansão no bairro errado, que começa a desmoronar após dez anos. Poder é o velho edifício de pedra, que se mantém de pé por séculos. Não respeito quem não sabe distinguir os dois."
"Há dois tipos de dor. O tipo que te deixa mais forte, e a dor inútil. O tipo que é só sofrimento. Eu não tenho paciência com coisas inúteis."
"Em se tratando da Casa Branca, não basta ter as chaves no bolso da calça, você precisa do porteiro."
"Se não gosta de como a mesa está posta, vire a mesa"

Não tem como não se render a sabedoria dessas frases, normalmente ele solta essas máximas quando o tempo congela e ele conversa com a câmera antes ou depois alguma situação tensa. Quando ele vira para câmera meu coração até palpita de ansiedade Hahahaha.

Para finalizar esse mega post (mas não tem como ser diferente com House of Cards) preciso dizer que precisei só do primeiro episódio para cair de joelhos pela série e que sou bem lenta para assistir então estou começando a terceira temporada agora e a quarta sai dia 04 de março. Como não sou um exemplo de devoradora de séries então não devo ficar órfã até lá, mas já estou ansiosa. Dá uma olhada no teaser (se você não viu nada, NÃO VEJA):



Let the butchery begin!

PS: Também escrevo resenhas e matérias em outro blog literário, o Ponto para Ler, se quiser conhecer é só clicar AQUI.



12 comentários:

  1. Que curioso encontrar este post aqui, meu marido já me recomendou a série, eu gosto (um pouco) de política e não me importo de discutí-la. Ele ainda não assistiu também, mas já havia me digo que sabia da existência. Darei uma chance assim que eu conseguir parar com a loucura de início de ano, aff.

    Beijo, Van - Retrô Books
    http://balaiodelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Eu estou entre aqueles que não assistiriam por ser politica, mas vc me deixou curiosa. Deve ser divertido ter esse homem olhando pra câmera e "falando" com o telespectador. Vou conferir.
    Bjs, Mari

    ResponderExcluir
  3. Oi Ana, eu particularmente não me ligo muito em politica, mas alguns anos atrás comecei a ler a trilogia O Século de Ken Follett, e ele utiliza muito o assunto para basear sua obra, e eu acabei fascinada pelos bastidores da política. Então ao começar a ler sua resenha eu tive quase certeza que estaria no grupo dos que respeitam a serie. Os personagens parece ser muito bem construídos e interpretados, mas o que mais me chamou atenção foi o fato dela destrinchar o papel da mídia e como ela é manipulada, esse foi o ponto que me convenceu de que essa série deve ser muito boa. Contudo, não tenho muita paciência para acompanhar séries e talvez eu não a veja, mas vou tentar fazer um esforço!

    ResponderExcluir
  4. Oi, Ana
    Eu sou uma dessas pessoas que torcem o nariz logo quando vê que se trata de um drama político kkk Ai, sei lá, me dá uma preguiça.
    Tenho amigos que AMAM essa série, mas mesmo assim não me animo a ver. Mas, não nego o fato de que ela mostra várias coisas importantes mesmo, como essa coisa da mídia manipular informações para se beneficiar. Enfim, série premiada, com temáticas aparentemente interessantes, mas vou deixar essa dica passar kk

    Beijo,
    João Victor - De cabeça para baixo | All pop Stuff

    ResponderExcluir
  5. Oi Ana!
    Eu não sou muito fã de política, acho que da muito rolo discutir isso, cria inimizades kkkk Essa série eu já ouvi falar muito bem e até tenho uma vontadezinha de ver. MAs me diz uma coisa, tem alguma ação de verdade nos episódios ou é mais um jogo de poder, planos e etc, mais calmos?

    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nathalia!
      Você não vai ver correria, explosões e porrada, mas vai prender a respiração em váááááários momentos.
      É muita treta reunida em uma série só Hahahaha

      Beijos!

      Excluir
  6. Olá!!! Acredita que eu assisti somente o episódio 1 da primeira temporada e torci o nariz, confesso!!! Achei que não ia gostar e não tive muita paciência para assistir os próximas episódios! Masssss.... adorei o seu ponto de vista desta série e estou inclinada a voltar assistir, quem sabe desta vez, com um novo ponto de vista não aprecio melhor, né!!!

    Parabéns pelo blog
    Bjs
    Keyla Vilela - http://blogleituraterapia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi!
    Apesar de não gostar muito de política, gosto quando é algo bem desenvolvido e que mostra uma outra cultura, um outro país.
    Vou acrescentar a minha lista de possíveis séries, já que tenho umas 9 que acompanho e esse mês é quando todas voltam do hiatus

    www.gordinhaassumida.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sabrina!

      Eu não sou muito boa para assistir séries, só assisti a primeira temporada de Sense 8 e tô vendo a terceira dessa agora. Para mim vale muito a pena por ser uma série de qualidade. Depois conta, se tentar!

      Excluir
  8. Oie, Ana! Eu iria maratonar essa série nesse feriado, mas não deu, pois comecei a atualizar outra que eu já vejo.
    Tenho muita vontade de vê-la, principalmente porque o casal, apesar de ser um tipo dificil parece ser muito inteligente e isso é muito bom de acompanhar...
    Bejoss,Anna - Letras & Versos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Anna!

      O casal é a cereja do bolo, todos os atores que passam pela série são muito bons, mas os dois dominam tudo e fazem coisas que até Deus dúvida.

      Beijos

      Excluir
  9. Gente que revelação de série é essa?! Sério, eu nunca imaginei que a série era tudo isso kkkk já tinha visto uma crítica, não muito boa, em um jornal local aqui, mas agora você falando dá pra perceber que a intenção é mostrar a verdade lor tras desse mundo político, isso é muito interessante!! Vou ver o primeiro episódio, mas não garanto nada pois politica não é muito a minha praia kk

    Nathália Bastos // Biblioteca Lecture

    ResponderExcluir

Obrigada pelo seu comentário. Volte Sempre!



ilustração por Lanillu | desenvolvido por Sete Coisas | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - COPYRIGHT © 2014