28 março 2016

Resenha: Proibido - Tabitha Suzuma

Como uma coisa tão errada pode parecer tão certa? Ela é doce, sensível e extremamente sofrida: tem dezesseis anos, mas a maturidade de uma mulher marcada pelas provações e privações da pobreza, o pulso forte e a têmpera de quem cria os irmãos menores como filhos há anos, e só uma pessoa conhece a mágoa e a abnegação que se escondem por trás de seus tristes olhos azuis.
Ele é brilhante, generoso e altamente responsável: tem dezessete anos, mas a fibra e o senso de dever de um pai de família, lutando contra tudo e contra todos para mantê-la unida, e só uma pessoa conhece a grandeza e a força de caráter que se escondem por trás daqueles intensos olhos verdes.
Eles são irmão e irmã.
Com extrema sutileza psicológica e sensibilidade poética, cenas de inesquecível beleza visual e diálogos de porte dramatúrgico, Suzuma tece uma tapeçaria visceralmente humana, fazendo pouco a pouco aflorar dos fios simples do quotidiano um assombroso mito eterno em toda a sua riqueza, mistério e profundidade. Skoob / Orelha de Livro

Autora: Tabitha Suzuma
Editora: Valentina
Páginas: 304
Nota: 3,5/5

Proibido aborda um tema polêmico e boa parte da minha motivação para lê-lo foi saber como a autora conseguiu desenvolvê-lo e conquistar tantos fãs. Lochan e Maya carregam o peso de cuidar de uma família, com 16 e 17 anos respectivamente, eles estudam e ainda têm que cuidar de três crianças. Com tanta responsabilidade assim tiveram que amadurecer muito rápido. Ambos são irmão e irmã, mas nesse quadro de família desestruturada assumem o papel de pais de família.

O pai deixou a família quando eles ainda eram crianças, a mãe vem os abandonando aos poucos passando cada vez mais tempo fora de casa para curtir festas e ficar com o namorado. Então Lochan e Maya cuidam para que os irmão comam, durmam, façam a lição de casa, brinquem...

Lochan tem um grave problema com sua timidez excessiva. Não consegue se relacionar com ninguém fora da sua família. Maya é a sua única e melhor amiga e ele vai descobrir que ela é também mais que isso. Ela é doce, gentil e tem o dom de mediar as situações quando as coisas se complicam em casa. Eles só podem contar com eles mesmos para suportarem as dificuldades, o peso das responsabilidades e manter o segredo de como vivem para que não sejam separados de seus irmãos.

Em determinado momento Lochan e Maya percebem que os sentimentos que têm um pelo outro vai além do amor fraternal de irmãos e tentam resistir - é errado e ilegal - e esconder seu amor dos julgamentos alheios e convenções sociais. A situação vai ficando cada vez mais difícil por saber que são correspondidos e quererem ficar juntos.

Como um amor tão puro pode ser tão errado? Como resistir a esse sentimento e conviver diariamente com ele? E se eles nasceram na mesma família por infelicidade do destino? 

De modo geral o livro é bastante interessante, mas achei o final um pouco corrido e senti que faltava algo que não sei dizer o que é. Eu particularmente ainda não sei o que pensar sobre o assunto, mas o livro deixa algo para se refletir: será que todo tipo de amor é válido?

Quotes:
"Eu me sinto como ... se os olhares das pessoas me queimasse. Como se não restasse ar no meu corpo. Aí me dá aquela tremedeira ridícula, meu coração palpita, e as palavras... simplesmente desaparecem."
"O sentimento estava lá havia anos, se aproximando da superfície a cada dia; era apenas um questão de tempo até romper nossa frágil teia de negação, nos obrigando a enfrentar a verdade e reconhecer quem somos: duas pessoas que se amam - um amor que ninguém mais poderia compreender."
"Não há leis nem limites para sentimentos."




2 comentários:

  1. Caramba, eu nunca iria imaginar que esse livro abordava um tema tão polêmico, nem sei o que pensar, agora eu quero ler, mesmo com os contras, fiquei curiosa para saber como a autora conseguiu levar isso, deve ser bem interessante!

    Adorei sua resenha!

    Hey! Da uma passadinha lá no blog, ele está de cara nova >>>Andy Lima<<<

    ResponderExcluir
  2. Acho que fui a única que achou a leitura tediosa e forçada demais! Antes de comprar o livro, li inúmeras resenhas para ver se de fato tomava coragem e partia para a leitura...Comprei e li o livro em apenas 02 dias, afinal, esperava que o contexto tivesse reviravoltas e não fosse nada do que estava lendo de cara...mas com mais de 150 leituras feitas, eu afirmo com toda certeza que Proibido não me tocou em absolutamente nada...apenas pelo fato de achar que Maya foi em grande partes responsável por tudo que aconteceu.

    ResponderExcluir

Obrigada pelo seu comentário. Volte Sempre!



ilustração por Lanillu | desenvolvido por Sete Coisas | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - COPYRIGHT © 2014