15 agosto 2016

Resenha: Silêncio - Richelle Mead

Pelo que Fei se lembra, nunca houve um ruído em seu vilarejo — todos são surdos. Na montanha, ou se trabalha nas minas ou na escola, e as castas devem ser respeitadas. Quando algumas pessoas começam também a perder a visão, inclusive a irmã de Fei, ela se vê obrigada a agir e a desrespeitar algumas leis. O que ninguém sabe é que, de repente, ela ganha um aliado: o som, e ele se torna sua principal arma. Ao seu lado, segue também um belo e revolucionário minerador, um amigo de infância há muito afastado em função do sistema de castas. Os dois embarcam em uma jornada grandiosa, deixando a montanha para chegar ao vale de Beiguo, onde uma surpreendente verdade mudará suas vidas para sempre. Fei não demora a entender quem é o verdadeiro inimigo, e descobre que não se pode controlar o coração. Skoob / Site da Editora


Autora: Richelle Mead
Editora: Galera Record
Páginas: 280
Nota: 3,5/5

Depois de ler Vampire Academy, Georgina Kincaid e Bloodlines; eu leio qualquer coisa dessa mulher. Richelle tem uma escrita que me intriga e é espetacular, então quando vi Silêncio nos lançamentos da editora não pensei duas vezes em solicitar para resenha. Um outro ponto positivo é que Silêncio é um livro único, muito difícil hoje em dia, né?

Mais uma vez fiquei surpresa com a originalidade de Richelle Mead ao escrever este livro tão bacana. Nesta história conhecemos Fei, uma garota que vive em um vilarejo, no alto da montanha, onde todos são surdos. Neste local existem três formas de emprego: trabalhar na escola (serventes ou artistas/aprendizes), nas minas ou fornecedores de alimentos. Fei e sua irmã, Zhang Jing, são aprendizes e como a população é surda, os aprendizes são responsáveis por deixar a comunidade informada das notícias do dia através das pinturas.

As castas nessa comunidade são rigorosas, aprendizes não podem conversar com mineradores e vice-versa. O alimento é escasso e controlado, onde ele chega toda semana por um sistema de cabos de Beiguo, um reino misterioso e que a comunidade de Fei não conhece. Ou seja, eles vivem no alto da montanha e jamais saíram de lá.

Depois de vários surtos em que os habitantes começam a perder a visão e as remessas de mantimentos diminuem, Fei e Li Wei, um minerador rebelde que tem um passado com nossa protagonista, embarcam em uma jornada para descobrir o que está acontecendo e assim proteger quem eles amam.

“E o grito de dor ou de raiva... Bem, esse é inteiramente diferente. Ele vem de um lugar mais obscuro, das profundezas da nossa alma, e, quando gritamos nesses momentos em que estamos tristes ou com muita raiva, existe uma constatação terrível que acompanha esse ato: a de que estamos dando voz a uma emoção que é simplesmente grande demais para caber no nosso coração.”

Silêncio é um livro que mostra claramente como a humanidade pode ser manipuladora e enganar as pessoas de forma cruel, apenas pelo seu bel-prazer. Mead explorou a surdez e os outros sentidos de forma ímpar, onde os diálogos são diferenciados e em formato de itálico, pois eles falam na linguagem de sinais. O começo pode ser estranho para quem está acostumado com travessões ou aspas, mas não é nada de outro mundo, logo você nem percebe mais.


A autora começou a explicar a história muito bem e com detalhes, mas quando começou a jornada de Fei e Li Wei as coisas começaram a ficar muito rápidas e eu fiquei com a sensação de que algumas cosias poderiam ser melhor explicadas, mas quando percebi já estava no final. O final teve umas coisas estranhas, sabe? Acrescentaram alguns elementos que eu entendi, mas a autora jogou a informação muito rápido sem nem ao menos explorá-la. Ainda assim Silêncio é um livro muito bom, a história é atrativa e a narrativa dela é ótima, só essas ressalvas que deveriam ter sido mais exploradas.

Os personagens são bem construídos e Fei é uma personagem forte e corajosa, sempre disposta em ajudar sua comunidade e sua irmã. A ligação delas é tão forte e foi muito lindo acompanhar esse amor tão puro e especial entre as irmãs. Li Wei e Fei mantém uma relação conturbada por causa de várias questões, mas fica nítido o amor entre eles e fiquei na torcida para que tudo desse certo entre eles.

A diagramação está ótima e a letra num tamanho agradável para leitura. Encontrei dois erros de revisão e a capa é muito linda, né? Foi a primeira coisa que me chamou atenção. Só acho que a cor do vestido deveria ser azul ou vermelho (Quem leu o livro vai entender) . Em suma, apesar das minhas ressalvas, eu recomendo o livro. A história é original e a crítica social é bem presente no livro, com certeza é uma leitura para tirar proveito e bastante válida.

Quotes:
“Silêncio é ausência completa de som - como era minha vida antes disso tudo.”
"Você não deveria ter que se casar porque outra pessoa quer que seja assim, ou porque parece ser a melhor escolha. Tem que se casar com alguém que ame você. Alguém que a ame a ponto de ser capaz de mudar o mundo por sua causa.”




15 comentários:

  1. Quando resenhei esse livro também falei da cor do vestido... Rs... Porque puxa, deve ser algo bem fácil de mudar, né? Tenho problemas com aspas nos diálogos, mas não tive o menor problema com o itálico, afinal como todos são surdos e não falam o melhor era mesmo representar de uma forma diferenciada. Foi o primeiro livro da autora que li e gostei muito, vou querer conferir outras obras dela.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ju! Pois é, essa questão do vestido seria muito resolver. Eu gosto muito da escrita da Mead, recomendo a série VA e Bloodlines. Beijos!

      Excluir
  2. Oi Jéssica, tudo jóia?
    Comecei a leitura sem criar muitas expectativas, e em alguns momentos até me empolguei com a leitura, mais precisamente na segunda metade do livro, quando o texto tomou um ritmo mais acelerado e começamos, aos poucos, a ter algumas respostas sobre os mistérios acerca do povoado e sua história. Mas, não passou disso: o livro tinha uma proposta muito boa e nova, porém a autora não conseguiu, infelizmente, desenvolver muito bem essas peculiaridades.
    Outro aspecto que eu não curti muito no livro foi que a autora demorou muito para deslanchar a história: a ambientação foi lenta, focando sempre nas mesmas coisas.
    Assim como a questão dos elementos fantásticos foi pouco explorada, senti falta de um desenvolvimento melhor de outra coisa da qual a autora se propôs a falar: a cultura chinesa. Novamente, ela só mostrou superficialmente, mas não aprofundou muito. Porém o que mais me decepcionou foi: Richelle criou uma protagonista surda, que tinha tudo para evoluir e se tornar uma heroína badass, ela criou um livro que poderia se destacar e exaltar a diversidade e deficiência, mostrando como nada disso impediria a personagem de embarcar em uma aventura memorável e ter uma vida muito boa. Mas ao invés disso, ela meio que “cura” a protagonista indicando que uma personagem com deficiência não conseguisse sustentar uma aventura YA.
    Eu mudaria os aspectos negativos que citei acima, mas não nego que o livro tem um bom conteúdo a oferecer.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ju, tudo bem? Realmente eu gostaria que a autora tivesse explorado algumas questões, como disse acima, principalmente depois que começou a jornada. O que gostei é a originalidade e o conteúdo, mas espero que você possa ler algo mais da Richelle, porque a escrita dela é boa. Beijos!

      Excluir
  3. Oi Jéssica.

    Concordo com você está muito difícil encontrar livros únicos e quando aparece um tem que ganhar pontos positivos.Achei a capa de Silêncio bastante bonita e a história inovadora. Sua resenha conseguiu despertar uma grande curiosidade, pois não conheço a escrita da autora. Acho que vou tentar adquirir este livro para conhecer.

    Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Kênia! Realmente está difícil encontrar livros únicos...rsrs. Não é o melhor livro da Mead, mas a escrita dela é ótima e você precisa conhecer. Beijos!

      Excluir
  4. Olá,
    Ainda não li a obra, mas já vi excelentes resenhas sobre ela.
    Ter uma personagem forte e corajosa me deixa bastante intrigada e acredito que farei a leitura em breve.
    Amei os quotes.

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oiii Jéssica, como vai?
    Eu estou louquinha para realizar a leitura dessa obra, referente que sempre vejo comentários positivos e a edição está um arraso, fantasia é um dos gêneros que sempre procuro ler e esse está super anotado.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  6. Olá Jéssica, tudo bem? Gente estou doida por esse livro desde que vi ele no Mochilão. Sou fã da escrita da Richelle desde Academia de Vampiros e por saber que é livro único respiro aliviada haha Quero muito lê-lo e sua resenha só me incentivou mais ainda.
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carol! Espero que goste da leitura, depois me diga o que achou. Beijos!

      Excluir
  7. Ai Deus, um livro da Richelle preciso 🏃 e comprar!
    Oi Jéssica, tudo bom? Eu amo Academia de Vampiros, é uma das minhas séries literárias favoritas e só não quis ler Bloodlines porque não gosto da Sidney haha.
    Esse livro me lembrou um pouco o filme A Vila, mas fiquei com muita vontade de saber como a autora explora os sentidos, já que como você conta ela fez isso muito bem.
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nati! Como assim rsrs? Olha, leia Bloodlines! É muito bom e Adrian é tão amor. Leia "Silêncio", depois me diga o que achou. Beijos!

      Excluir
  8. Uma pena que a autora não aprofundou mais a história, talvez para não correr o risco da trama se alongar, a Richelle tenha feito essa escolha mais abrupta, no entanto, isso deixa o leitor com a impressão de que alguma coisa faltou, mesmo que o livro seja bom e os personagens legais. Confesso que pensei que seria um livro incrivel, agora desanimei, talvez eu leia um dia, quem sabe?

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Realmente é muito raro ter somente um livro hoje em dia, mas fico feliz pois a fila de séries para colocar em ordem está longa rs'
    Assim que esse livro saiu eu fiquei interessada nele, já li "Academia de Vampiros" mas não finalizei (ainda) rs' e gostei da narrativa da autora. Essa história é bem diferente e isso me deixou mais interessada, mesmo sabendo que a autora não foi muito longe e que poderia ter mais desenvolvimento eu quero conferir e pretendo fazer ainda esse ano. Gostei da resenha sincera e espero curti a leitura.

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Tahis, tudo bem? Termine logo VA, porque é tão amor; depois leia Bloodlines. Cada leitura é diferente, então pode ser que você goste! Torço aqui para você gostar.

      Excluir

Obrigada pelo seu comentário. Volte Sempre!



ilustração por Lanillu | desenvolvido por Sete Coisas | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - COPYRIGHT © 2014