Resenha: A Garota do Calendário (Fevereiro) - Audrey Carlan

Mia Saunders precisa de dinheiro. Muito dinheiro. Ela tem um ano para pagar o agiota que está ameaçando a vida de seu pai por causa de uma dívida de jogo. Um milhão de dólares, para ser mais exato. A missão de Mia é simples: trabalhar como acompanhante de luxo na empresa de sua tia e pagar mensalmente a dívida. Um mês em uma nova cidade com um homem rico, com quem ela não precisa transar se não quiser? Dinheiro fácil. Parte do plano é manter o seu coração selado e os olhos na recompensa. Ao menos era assim que deveria ser... Em fevereiro, Mia vai passar o mês em Seattle com Alec Dubois, um excêntrico artista francês. No papel de musa, ela vai embarcar em uma jornada de descobertas sexuais e lições sobre o amor e a vida que permanecerão com ela para sempre. Skoob              Comprar: Amazon | Submarino | Americanas 

Autora: Audrey Carlan
Editora: Verus
Páginas: 132
Nota: 3,5/5

Livro de Conteúdo Adulto

A Garota do Calendário (Janeiro) #1

Olá, pessoal, tudo bem com vocês? Já leram algum livro da série "A Garota do Calendário" ? Para quem não conhece esse é o segundo livro e como a história é contínua é importante ler os livros em sequência. O primeiro livro já foi resenhado aqui no blog.

Em fevereiro saberemos sobre o segundo mês de trabalho de Mia e dessa vez ela vai para Seattle para ser a musa do artista francês Alec Dubois. Depois de um mês como acompanhante do roteirista Wes em Malibu, Mia agora vai ficar como acompanhante de um artista talentoso e singular e será a sua musa.

Com o ocorrido em Janeiro e sabendo que ser acompanhante ainda é a sua única alternativa para salvar a si mesma e a sua família, Mia resolve mudar sua atitude e aproveita dessa experiência o máximo possível e da maneira mais prazerosa, mas nem mesmo isso a preparou para encontrar o excêntrico Alec Dubois.

"Ser acompanhante era algo que eu precisava fazer para salvar meu pai mais uma vez. Um meio para um fim. Se tinha de ser assim, pelo menos eu me divertiria no processo." 

Assim como Wes, Alec também é muito atraente, mas as semelhanças entre eles param aí. Alec tem uma forma livre e intensa de ver e sentir a vida e é isso que ele retrata em seu trabalho. Completamente apaixonado (apaixonante também) e desprendido ele vai ensinar a Mia um novo conceito de amor no qual ela vai levar para si e para seus próximos trabalhos.

"Naquele momento, jurei a mim mesma que não tentaria me impedir de me importar com cada cliente. Eu me permitiria gostar de cada um do meu jeito."

Apesar de ter gostado do Alec e toda a sua filosofia de vida e tal, não gostei tanto desse livro quanto do primeiro. Eles são completamente diferentes e isso é bom, mas eu não sei se consigo explicar bem. Talvez porque o relacionamento dos protagonistas desse livro não pôde ser muito bem desenvolvido já que se tratava de um trabalho artístico, então vemos pouco deles "vivendo" e mais deles trabalhando na arte. Acho que essa falta de algo mais fora do estúdio de Alec não me deixou sentir esse amor livre que o livro fala e tudo passou muito rápido nessas 132 páginas.

Além disso, a irmã mais nova de Mia aparece um pouco nesse livro e eu quero e torço para ver mais do relacionamento das duas. As dúvidas e incertezas da protagonista quanto a sua postura nesse novo trabalho e as consequências ou no que ela pode se tornar no decorrer desse ano também me deixaram curiosa pelo próximos volumes, principalmente "Dezembro", este já quero ler desde "Janeiro" rsrsrs.

Quotes:
"Os franceses fazem amor. Eu faço amor. Tenho que ter algum sentimento para realmente fazer amor com você, oui?"
"Assim, eu preciso te amar um pouco para querer estar com você dessa maneira. Mas ainda posso te amar e deixar você livre. Você vai levar o meu amor quando for embora. Para sempre. E esse pedaço do meu amor vai ser seu enquanto você viver."
"O meu compromisso com você é te amar inteiramente durante o tempo que estivermos juntos. Isso vai ficar com você. E eu vou levar o seu amor comigo. Então, nós dois sempre saberemos que esse tempo foi construído com base em confiança, amor e amizade. - Ele fez uma pausa e me beijou com suavidade. - Nada mais é necessário nesta vida."
"Meu tempo com Alec foi especial, e eu previa que, enquanto continuasse essa jornada, cada cliente acrescentaria algo em minha vida."


 

1 comentários:

  1. Oi Brenda, eu já li até junho e fevereiro foi o único que eu realmente não gostei do cliente da Mia. Alec não me conquistou de nenhuma maneira!

    Bjoooos
    muitospedacinhosdemim.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Obrigada pelo seu comentário. Volte Sempre!