03 janeiro 2017

Resenha: E Viveram Felizes Para Sempre - Julia Quinn

Alguns finais são apenas o começo...
Era uma vez uma família criada por uma autora de romances históricos...
Mas não era uma família comum. Oito irmãos e irmãs, seus maridos e esposas, filhos e filhas, sobrinhas e sobrinhos, além de uma irresistível matriarca. Esses são os Bridgertons: mais que uma família, uma força da natureza.
Ao longo de oito romances que foram sucesso de vendas, os leitores riram, choraram e se apaixonaram. Só que eles queriam mais. Então começaram a questionar a autora: O que aconteceu depois? Simon leu as cartas deixadas pelo pai? Francesca e Michael tiveram filhos? O que foi feito dos terríveis enteados de Eloise? Hyacinth finalmente encontrou os diamantes?
A última página de um livro realmente tem que ser o fim da história? Julia Quinn acha que não e, em E viveram felizes para sempre, oferece oito epílogos extras, todos sensuais, engraçados e reconfortantes, e responde aos anseios dos leitores trazendo, ainda, um drama inesperado, um final feliz para um personagem muito merecedor e um delicioso conto no qual ficamos conhecendo melhor ninguém menos que a sábia e espirituosa matriarca Violet Bridgerton.
Veja como tudo começou e descubra o que veio depois do fim desta série que encantou leitores no mundo inteiro. Skoob | Comprar: Submarino | Saraiva | Americanas 

Autora: Julia Quinn
Editora: Arqueiro
Páginas: 256
Nota: 5/5

E viveram felizes para sempre, da minha amada Julia Quinn, é o nono volume da série Os Bridgertons e oferece oito epílogos extras de cada livro anterior e um conto especial de Violet, matriarca da família. Em cada início de epílogo temos uma observação de Quinn sobre o que esperar da história em questão, o que achei muito importante para podermos relembrar algumas situações que apareceram em cada conto. 

No epílogo de O Duque e Eu nosso casal já está casado há 21 anos e com quatro filhos crescidos, temos a oportunidade de saber sobre as cartas deixadas pelo pai de Simon e também novas surpresas para esse casal tão amado. Em O visconde que me amava temos uma reprise do famoso jogo Pall Mall, versão do século XIX do croquet, da família Bridgerton. Nessa partida atual vemos Kate e Anthony num casamento de quinze anos de amor e felicidade, sobretudo com suas personalidades tão irreverentes e divertidas.

"Daphne supunha que havia algumas coisas que as pessoas nunca superavam, não completamente."

Em Um Perfeito Cavalheiro a autora foca em Posy, meia-irmã de Sophie Bridgerton, e na sua jornada para conhecer o amor e também o que aconteceu com ela depois dos acontecimentos anteriores. Ainda temos um vislumbre do casamento de Sophie e Benedict. Em Os segredos de Colin Bridgerton, o conto mais esperado por mim, se desenvolve logo depois do casamento deles, sobretudo com a questão de Eloise ter desaparecido nessa época (que acarretou em seu livro) e também como a família reagiu com esse desaparecimento.

"Colin era seu amor, sua paixão e sua alma, mas tinha sido Eloise, mais do que qualquer outra pessoa, que moldara a vida adulta de Penelope." 

Para sir Phillip, com amor Julia Quinn foca em Amanda Crane, filha de Phillip. Ela agora é adulta e considera sua madrasta Eloise Crane (nascida Bridgerton) como uma mãe e a ama muito, então vamos acompanhar Amanda e seu irmão gêmeo, Oliver, se tornarem adultos ajustados e sensatos, mas principalmente em Amanda em sua descoberta do amor. O Conde Enfeitiçado traz as respostas que tanto queremos sobre Francesca e Michael sobre ter filhos. Nessa história comovente temos um pouco do casamento de ambos, da luta para terem filhos e a relação de Francesca e Violet.

Em Um beijo inesquecível Hyacinth está adulta e tem dois filhos, mas continua tão peculiar quanto jovem e ainda por cima tem uma filha exatamente como ela e isso nos proporciona belas risadas e lembranças de quem acompanhou essa querida menina ao longo da série. E, claro, sabemos mais sobre os famosos diamantes.

A Caminho do altar mostra a prole de Gregory e Lucy, principalmente o nascimento das gêmeas deles assim concluindo nove filhos, mas nem tudo é só alegria e vamos acompanhar cenas emocionantes que só Julia Quinn pode escrever. Em Florescer de Violet conta como essa protagonista maravilhosa conheceu o seu marido Edmund Bridgerton e se apaixonou perdidamente. Também sabemos como foi para ela perder o amor de sua vida e seguir em frente como também sua convivência com a sua família enorme.


Depois de tanto livros nem preciso dizer que a escrita da autora é maravilhosa e envolvente e a cada conto foi um prazer rever esses personagens tão queridos. Essa família é maravilhosa e quem tiver a oportunidade de conhecer deve ler com certeza, os personagens são bem construídos e foi muito bom ver o quanto eles amadureceram e se tornaram pessoas cada vez melhores. 

Eu amei cada conto, mas meus preferidos são os segredos de Colin Bridgerton, A caminho do altar e O Florescer de Violet. Sobretudo a história da matriarca da família que me deixou emocionada com sua jornada de amor, felicidade, alegria, tristeza e luto. 

A diagramação do livro é a típica da editora com uma fonte razoável para leitura e não encontrei nenhum erro de revisão. Julia Quinn traz um livro extra sobre os personagens tão amados e faz os fãs dá série ficarem em uma nostalgia incrível. Adeus, família Bridgerton! Ou um até logo, quem sabe autora possa escrever sobre os netos de Violet, ou pelo o menos de alguns já que são mais de 30. 

Quotes:
"Hyacinth ainda era Hyacinth. Ficara um pouco mais tranquila com a idade, mas ainda era a mesma franca, encantadora e incrivelmente maravilhosa Hyacinth."
"Ela é a prova de que se pode ser feliz duas vezes, com dois amores diferentes. [...] Mas, sabe, ela não é feliz com Michael da mesma forma que era com John. Não estou dizendo que um amor seja maior que o outro; não é o tipo de coisa que se pode medir. Mas é diferente."




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo seu comentário. Volte Sempre!



ilustração por Lanillu | desenvolvido por Sete Coisas | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - COPYRIGHT © 2014