Resenha: A Pedra Pagã - Nora Roberts

Partilhando visões de morte e fogo, os irmãos de sangue Cal, Fox e Gage e as mulheres ligadas a eles pelo destino, Quinn, Layla e Cybil, não podem ignorar o fato de que o demônio está mais forte do que nunca e que a batalha final pela cidade de Hawkins Hollow está a poucos meses de acontecer.
A boa notícia é que eles conseguiram a arma necessária para deter o inimigo ao unir os três pedaços de jaspe-sanguíneo. A má notícia é que ainda não sabem como usá-la e o tempo está se esgotando.
Compartilhando o dom de ver o futuro, Cybil e Gage podem descobrir a resposta para esse enigma se trabalharem juntos. Só que, além de não terem nada em comum, os dois se recusam a ceder aos próprios sentimentos. Um jogador profissional como Gage sabe que se entregar a uma mulher como Cybil – com a inteligência, a força e a beleza devastadora dela – pode ser uma aposta muito alta. E qualquer erro de estratégia pode significar a diferença entre o apocalipse e o fim do pesadelo para Hawkins Hollow.
Em A Pedra Pagã, Nora Roberts encerra a emocionante trilogia A Sina do Sete, uma história sobre família, amor e amizade que consegue arrancar arrepios e suspiros de seus leitores.

Autora: Nora Roberts
Editora: Arqueiro
Páginas: 272
Nota: 4/5


Trilogia A Sina do Sete:
Irmãos de Sangue #1
A Maldição de Hollow #2

Chegamos ao final da jornada desses personagens em combater as forças do mal que domina a pequena cidade de Hawkins Hollow, que a cada sete anos e a partir do sétimo dia do sétimo mês e a cada sete dias sofre todo o tipo de violência e destruição.

Caleb e Quinn, Fox e Layla, Gabe e Cybil estão dispostos a finalmente derrotar esse mal que cerca a cidade de Hawkins. O demônio é perverso e cruel, mas esse grupo está cercado de amor e força de vontade para devolver a paz a pequena cidade.

Agora chegou a vez de conhecermos mais profundamente as histórias de Gabe e Cybil, que são os personagens mais espirituosos e intrigantes. Os dois estão ligados a uma perda trágica no passado e compartilham da mesma habilidade especial, eles conseguem ter um vislumbre do futuro e isso acaba sendo uma arma para ajudar a derrotar o demônio.

A trilogia A Sina do Sete não é a minha favorita da autora e não espere aquelas cenas de perder o fôlego, mas eu sempre gosto quando ele escreve sobre elementos sobrenaturais, principalmente com sutileza e a riqueza de detalhes. A magia, a conexão com o passado e o sacrifício são elementos que eu gosto quando Nora Roberts aborda em seus livros. 

O final da obra deixou a desejar em algumas partes específicas e eu esperava um pouco mais de detalhes a respeito de algumas coisas, mas não deixou de ser agridoce e não deixa de ser uma história sobre amor e perseverança. É sobre você lutar por um bem maior e pelas pessoas que ama. É sobre você buscar forças mesmo quando parece que tudo vai dar errado.

A diagramação é típica da editora com uma letra num tamanho ótimo para leitura e não encontrei nenhum erro de revisão. Os personagens são bem construídos e com personalidades distintas, você vai torcer para que todos tenham seus finais felizes. A trilogia se encerra no momento certo da história, claro que gostaria de algumas cenas acrescentadas mas isso não impediu o entendimento da história. Valeu a pena ter lido esta trilogia!

0 comentários:

Deixe seu comentário

Obrigada pelo seu comentário. Volte Sempre!